CONHEÇA A AMAZÔNIA

FAUNA / FLORA

FAUNA

FAUNA / FLORAA fauna amazônica é a mais espetacular do planeta, incluindo felinos, roedores, aves, quelonios e primatas.

Sua bacia hidrográfica possui a maior diversidade de peixes do mundo: entre 2.500 e 3 mil espécies. Destas, jaú, surubim, cachorra, matrinxã, piranha e tambaqui são alguns dos mais cobiçados dos amantes da pesca esportiva. Porém, a lista dos preferidos é encabeçada pelo tucunaré, famoso por ser muito bom de briga.

Além disso, na Amazônia vivem 1.300 espécies de pássaros e 300 de mamíferos. No total, a fauna da região totaliza mais de 2 milhões de espécies, muitas das quais encontradas apenas na região. Com freqüência os pesquisadores descobrem novas espécies. Alguns animais são para lá de exóticos: são os casos do peixe-boi (de mais de 2 metros de comprimento), da ave guará de penas vermelhas e o poraquê, “peixe elétrico” que liberar carga de alta voltagem.

Isso, sem falar de espécies já famosas como tucano, piranha, araras, papagaios e macacos.

 

FLORA

A flora amazônica é abençoada pela Natureza. Em meio à floresta há inúmeras espécies comestíveis, oleaginosas, medicinais e  corantes. Das 100 mil espécies vegetais presentes na América Latina, cerca de 30 mil estão na Amazônia. A planta mais famosa é a vitória-régia, a flor símbolo da Amazônia. Conhecida como a "rainha dos lagos", a vitória régia (Vitoria regia lindl) abre suas folhas nas águas rasas e sem correnteza, formando uma bandeja redonda verde. Chega a medir de 1m  a 1,80m de diâmetro. Foi batizada com este nome por um naturalista inglês para homenagear a rainha Victoria pela sua exuberância. A flor muda de cor com o tempo; no primeiro dia de abertura, os botões são brancos e se tornam rosados no segundo dia. A partir do terceiro dia começa a desabrochar às 17h e completa o ciclo às 21 horas.

Os diferentes graus de umidade durante o período de cheia dos rios, de qualidade do solo, nos ventos e nas chuvas propiciaram formações vegetais bem distintas. A soma delas é que forma uma região única no planeta e dá vida à grande biodiversidade amazônica.

A vegetação pode ser dividida em três tipos:

- Florestas de terra firme
Ocupam terras não inundáveis. Possuem de 140 a 280 espécies por hectare, entre elas as grandes árvores de madeira de lei da Amazônia. Em alguns locais as copas das árvores são tão grandes que impedem a passagem de até 95% da luz do sol. Os principais representantes desse tipo de vegetação são o cedro, mogno, Angelim-pedra, as castanheiras-do-pará, seringueira, o guaraná e o timbó, árvore utilizada pelos índios para envenenar os peixes.

- Floresta de igapó
Ocupam os terrenos mais baixos, próximos aos rios, e estão permanentemente alagadas. Durante o período de cheia, as águas chegam a alcançar as copas das árvores, formando os "igapós". Quando esse fenômeno se dá nos pequenos rios e afluentes, são denominados "igarapés". A maioria das árvores tem entre 2m e 3m, mas algumas chegam a atingir até 20m de altura. A espécie mais famosa desse tipo de floresta é a vitória-régia.

- Floresta de várzea
Localizam-se entre a terra firme e os igapós. Apresentam cerca de 100 espécies vegetais por hectare. São três as categorias: várzea baixa e intermediária (com predomínio de palmeiras e algumas espécies cujas raízes auxiliam na fixação de oxigênio) e várzea alta (com solo menos atingido pelas águas das marés e maior biomassa graças a espécies arbóreas, como a andiroba). É formada por árvores de grande porte como a seringueira, as palmeiras e o jatobá.